AS VALAS ABERTAS E O “FORA BOLSONARO!” – Para evitar o pior será preciso enterrar o fascismo

por Renato Costa para A Casa de Vidro

Diante das valas abertas, manter-se consciente do tamanho da crise e mobilizado(a) para enfrentar suas consequências imediatas é uma tarefa que exige, certamente, muito estômago. De São Paulo a Manaus, passando por Nova York e Madri, é certo que tais medidas são, infelizmente, necessárias para as muitas mortes decorrentes da emergência sanitária [1]. Mas essas valas são, antes de mais nada, a evidência irrefutável da incompetência do estado burguês neoliberal, ao mesmo tempo em que dão testemunho do rigor mórbido e do descaso total com a vida humana no mundo capitalista contemporâneo, seja em países desenvolvidos, ou no Brasil recolonizado.

Ilha de Hart Island, perto do Bronx: Nova York abre valas comuns para enterrar mortos por coronavírus. Em 22 de Abril de 2020, a prefeitura da cidade já registrava 9.944 óbitos por covid-19 em NYC.

Um neomalthusianismo de ocasião se espraia [2] entre pessoas enclausuradas pelos governos liberais dos centros capitalistas, ainda que sob estado de sítio permanente elas mantém a todo custo opiniões racializadas relativas ao controle de populações migrantes. Vindos aos montes dos países emergentes, eles poderiam ser detidos através do asséptico “acesso à imunização em países pobres”. Países e regiões, estes, recentemente destituídos de suas soberanias e poder real de autodeterminação e, obviamente, de fiscalização, mais suscetíveis a “erros médicos” de grande proporção. Eles poderão render bons exemplos, aclamados por grandes corporações, que prometem vacina humanitária, rápida e vitalícia como propõe Gavi Alliance (Microsoft), em colaboração com a identidade digital globalista, a ID2020 [3], mas sem garantir deliberação democrática ou eventual responsabilização corporativa.

Saiba mais: Gavi Alliance

Projetada pelas mesma Organização Mundial da Saúde (OMS), envolvendo governos e instituições financeiras, a iniciativa da vacina digital nega apenas o alarmismo “conspiratório”, no jargão da CIA, sem ao menos, por necessidade publicitária, desmentir seus reais propósitos [4].

Tudo elaborado, imagine-se, a partir dos países centrais do capitalismo financeiro, em rápida mutação ao capitalismo de vigilância [5], que a todos submetem. Em meio a isso, a postura das autoridades governantes de extrema-direita, como o executivo brasileiro, é, tanto mais, um escárnio de vulto histórico, pela dimensão de suas consequências desastrosas e deliberadamente assassinas. Se anuncia um projeto repressivo de biopoder [6] através de um “deixar morrer à margem”, típica do liberalismo econômico e do autoritarismo polítco, com alto teor sarcástico, em que medidas diversionistas dão o tom do novo !Abajo la Inteligencia, Viva La Muerte! [7], revivido através da condução nefasta de uma crise inevitável.

O interesse do conjunto da burguesia, representada pelos governadores de extrema-direita e amparada por Bolsonaro, em esconder o real estado de coisas [8] e anunciar a flexibilização da quarentena com o jargão da abertura “lenta e gradual” [9], provoca ainda mais insegurança e anuncia os horrores do colapso do sistema de saúde brasileiro. Depois que os médicos e enfermeiros estiverem completamente extenuados pelas jornadas intermináveis, o exército não terá pudor em abrir quantas valas comuns forem necessárias [10], e ainda ocultarão os registros dos cadáveres, como sugere o histórico recente, e pretérito, das ditaduras brasileiras.

Ainda que se queira apenas acompanhar os rumos da crise do novo corona vírus no Brasil, a distância, já será exigido bastante empenho. Entre os afazeres domésticos de uns, e as jornadas de sobre-exposição de outros, os dados oficias  de dimensionamento do tamanho da pandemia são duvidosos: os critérios são múltiplos, as rotinas de registro e reportagem limitadas, os atestados de óbito são inibidos por protocolos médicos [11]. Se até o momento em que se publica este artigo, a 22 dias do mês de abril de 2020, quase 2 milhões e seiscentos mil casos eram registrados pelo painel da Johns Hopkins University Coronavírus Resoucers [12] e racionalizados pela palavra “Confirmado”, o número de 43.592 casos e 2.769 mortes reportados no Brasil poderia chegar a ser, apenas, na melhor das hipóteses, o indicativo mais próximo, e insuficiente, do imenso número de subnotificações e danos colaterais do surto de infectados no país e no mundo todo.

Entretanto, se é preciso trabalhar com números atualizados para se dimensionar a Covid-19 como um fenômeno epidemiológico e não apenas como uma doença, isto não significa esquecer da necessidade de continuamente se realizar um trabalho de registro, processamento e interpretação de dados no longo prazo. Uma forma mais ampla e segura de se chegar a um número de mortos em decorrência da doença é garantir os registros totais e, descontados a média de mortes anuais, futuramente contrastar o número de 2020 com os dos anos anteriores e subsequentes [13].

Para tanto, seria necessário rigor censitário, critério científico para os obituários, além de segurança institucional, mobilização popular e respeito à Constituição, tantas das coisas em falta no horizonte do Brasil em tempos de corona vírus. Aliás, a quantas andam o Censo 2020? [14] Adiado para 2021! E as Eleições¿ Já saberemos! Mais urgente é sabermos qual será o futuro das políticas de estado, em seu conjunto, diante da ascensão do cesarismo bolsonarista. Uma vaga incerteza a se perpetuar sobre onde deve parar o declínio da confiança nas instituições e sobre as possibilidades de transparência das mesmas.

Enquanto nos EUA, o Senado aprova um repasse de 480 bilhões de dólares a programas econômicos de assistência [15] a pequenas e médias empresas, de socorro aos hospitais e de incentivo à produção de testes de covid-19, no Brasil, por motivos de cadastro, a crise do auxílio emergencial pode deixar 5 milhões de pessoas sem sacar os 600 reais estabelecidos, justamente, como emergenciais, pelo Congresso. Ao mesmo tempo em que Trump sinaliza se afundar no particularismo estadunidense e para a emissão de Green Card, denotando avanço da política anti migrante, apoia a xenofobia ao falar em reparação da China [16], responsabilizada pela pandemia.

Com estratégia diversionista e com vistas à flexibilização da quarentena, Trump, assim como Bolsonaro, convoca apoiadores a saírem às ruas das principais cidades do país [17], em carro, pedir que os trabalhadores se dirijam aos seus postos de trabalho! Ato seguido, alguns governadores estadunidenses suspendem a quarentena, na última terça-feira, 21. No Brasil, Espanha, e outros países fortemente atingidos, governantes falam em levantar as medidas até o 10 de maio[18].

Em números absolutos, os países mais afetados na América Latina são Brasil e México; em números relativos, Equador e Panamá, com três vezes mais casos que o Brasil [19], em relação proporcional ao número de habitantes. Em São Paulo, Dória lançou o chamado “planejamento de reabertura gradual” [20] nesta quarta-feira 22/04. A quarentena estado mais atingido do Brasil, iniciada em 24 de março, completará um mês nos próximos dias. O estado registra 1.037 mortes e 14 mil casos de covid-19.

Após reunião com o governador de Brasília, Ibanes Rocha, Bolsonaro fala em reabertura de colégios militares de Brasília na próxima segunda-feira, 27/04 [21].  No início de abril, Ibanes havia decretado suspensas as aulas em escolas e universidades até 31 de maio. No mesmo dia, Bolsonaro anuncia que determinará a Sérgio Moro a reabertura a Academia Nacional da Polícia Federal na mesma semana. Em meio à crise entre Executivo e Legislativo, governadores esboçam aliança com o congresso comandado pelo DEM, ao mesmo tempo em que falam em flexibilização da quarentena e sinalizam apoio à retomada das atividades econômicas frente aos riscos à saúde pública, defendida por Bolsonaro. “Será referência para todo o país”, teria afirmado o médico e Governador de Goiás, Ronaldo Caiado [22].

Até o momento, a quarentena no Brasil contou com uma política não-restritiva [23], que apenas recomenda que se fique em casa. Apesar do baixo controle da circulação de pessoas no país e mais de 50% da população de São Paulo se movimentando diariamente [24], alguns municípios, isolados e autonomizados pelo parecer do STF que garante suas competências e responsabilidades no combate da efetivo da pandemia, policializaram a saúde pública e arbitrariamente reprimiram seus habitantes [25], sem nenhum nível de mediação jurídica ou coordenação sanitária. Caberia ao executivo federal garantir condições de suporte econômico, estabilidade política e viabilizar uma estratégia comum de controle do surto, e assim facilitar o tratamento aos infectados.

Em reunião não agenda com Nelson Teich, transcorrida na última segunda-feira [26], Bolsonaro teria levantado dados sobre a pandemia e disse que vai se posicionar sobre o isolamento social. Qualquer que seja a postura anunciada por um executivo ilegítimo, herdeiro de um golpe parlamentar que afastou uma presidenta legitimamente eleita, a leniência diante da pandemia e a notória participação do presidente em atos que atentam contra a constituição [27] – e por isso configuram graves crimes de responsabilidade – estão se configurando em uma verdadeira catástrofe política e humanitária. As perspectivas são as de uma crise entre negacionistas de toda ordem sob o mando da sobre-exposição dos trabalhadores, a mando dos patrões e a desobediência civil, eventualmente apoiada por entes federados insubordinados à condução irresponsável da crise de saúde por parte do executivo nacional.

Os governadores mais lúcidos deverão se negar a flexibilizar a quarentena antes do fim de maio, e ainda terão o dever de fecharem as fronteiras a circulação de pessoas vindas de estados alinhados à lógica da morte e ao imperativo da retomada da economia, antes da retomada da vida. Prejudicados pelo trânsito de pessoas infectadas vindas de regiões sem restrições de circulação, os prefeitos e suas bases poderão insuflar a indignação radical contra as medidas de exposição das populações mais vulneráveis e a favor do enfrentamento decisivo pelo #ForaBolsonaro, como ato pedagógico, contra os que atentam a contra a democracia, e pelo enterro do verdadeiro problema, o neofascismo brasileiro e sua estratégia de matar ou deixar morrer.

Renato Costa

REFERÊNCIAS

  1. https://oglobo.globo.com/mundo/nova-york-abre-valas-comuns-para-enterrar-mortos-por-coronavirus-24364067
  2. https://forbes.com.br/colunas/2019/09/bill-gates-diz-que-planejamento-familiar-e-essencial-para-o-futuro-da-africa/
  3. https://www.gavi.org/our-alliance/about
  4. https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/vacina-do-coronavirus-nao-tera-microchip-para-rastrear-a-populacao/
  5. https://diplomatique.org.br/um-capitalismo-de-vigilancia/
  6. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672018000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
  7. http://www.jsfaro.net/2018/08/abajo-la-inteligencia-viva-la-muerte.html
  8. https://www.ovale.com.br/_conteudo/nossa_regiao/2020/04/102062-sp-tera-isolamento-heterogeneo-da-quarentena–area-de-risco–vale-deve-ter-flexibilizacao-mais-lenta.html
  9. https://www.poder360.com.br/governo/bolsonaro-discursa-em-ato-com-pauta-a-favor-do-ai-5-e-contra-o-congresso/
  10. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/04/17/interna-brasil,845574/exercito-pede-informacoes-prefeituras-rio-sobre-sepultamento-em-massa.shtml
  11. https://brasil.elpais.com/brasil/2020-04-07/748-mortes-ligadas-ao-coronavirus-registradas-em-cartorios-no-brasil-mais-um-indice-da-defasagem-nas-estatisticas-oficiais.html
  12. https://coronavirus.jhu.edu/
  13. https://www.youtube.com/watch?v=9xvVxClAkMo
  14. https://censo2020.ibge.gov.br/
  15. https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2020/04/21/senado-eua-aprova-us-480-bi-a-pequenas-e-medias-empresas-e-luta-contra-a-covid-19.htm
  16. http://www.defesanet.com.br/pw/noticia/36522/Virus-Chines–Trump-adverte-Pequim-sobre-possiveis–consequencias–devido-a-pandemia/
  17. https://www.washingtonpost.com/outlook/2020/04/17/liberate-michigan-trump-constitution/
  18. http://www.rfi.fr/br/europa/20200422-espanha-volta-a-ter-uma-leve-alta-de-mortes-por-coronav%C3%ADrus-mas-prepara-fim-do-isolamento
  19. https://www.bbc.com/portuguese/brasil-52144605
  20. https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2020-04/covid-10-sp-vai-anunciar-na-proxima-quarta-feira-reabertura-gradual
  21. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2020/04/20/interna_cidadesdf,846613/bolsonaro-e-ibaneis-tratam-de-reabertura-de-escolas-militares-no-df.shtml
  22. https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/sera-referencia-para-todo-o-pais-afirma-caiado-sobre-decreto-que-flexibiliza-quarentena-249165/
  23. https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2020/04/15/coronavirus-mapa-mostra-os-diferentes-tipos-de-quarentena-na-america-latina.htm
  24. https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/isolamento-social-em-sp-e-de-50-aponta-sistema-de-monitoramento-inteligente-2/
  25. https://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2020/04/13/mulher-morde-guarda-municipal-ao-ser-detida-por-caminhar-em-praca-de-araraquara.ghtml
  26. https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/bolsonaro-recebe-teich-no-planalto-em-reuniao-nao-agendada,f78b6e06747a532656294718b5c05fefhb90169j.html
  27. https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_85_.asp

Sobre www.acasadevidro.com

Ponto de cultura em Goiânia. Plugando consciências no amplificador. Encabeçado por Eduardo Carli de Moraes, professor de Filosofia no (IFG). Jornalista e Documentarista independente.

Um pensamento sobre “AS VALAS ABERTAS E O “FORA BOLSONARO!” – Para evitar o pior será preciso enterrar o fascismo

  1. gustavo_horta disse:

    Republicou isso em Gustavo Hortae comentado:
    *Pré-ocupar, perplexidade, isto deixa comigo. Espero do poder que se ocupe*
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2020/04/29/pre-ocupar-perplexidade-isto-deixa-comigo-espero-do-poder-que-se-ocupe/

    Pré-ocupação e perplexidade são sensações permitidas para nós que somos do Povo. Eu tenho o direito de ficar assustado e pré-ocupado diante da situação em que o nosso país se desencontra, em um caos criado, fomentado e estimulado por um verme incapaz de governar. …

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s